terça-feira, 5 de junho de 2007

DESAFIO A NEGRÃO

O candidato do Partido da Nova Democracia à Câmara Municipal de Lisboa, Manuel Monteiro, desafiou hoje o social-democrata Fernando Negrão a ser o primeiro subscritor da petição que está a promover para referendar o aeroporto da Ota, noticia a Lusa. Esta posição de Monteiro foi transmitida a Fernando Negrão em resposta à carta enviada pelo candidato do PSD a Lisboa, no final de Maio, a todos os seus adversários nas eleições intercalares a propor um «pacto» para a manutenção do aeroporto da Portela na capital. «Venho aceitar o seu repto e, simultaneamente, sugerir-lhe, em nome de uma maior eficácia deste pacto ora proposto, que seja o primeiro subscritor da petição referendária a dirigir à Assembleia República, já por mim subscrita em segundo lugar», sugeriu, na carta a que a Lusa teve acesso. Por outro lado, Monteiro desafiou Negrão a promover a recolha de assinaturas com vista à realização da consulta popular. Para que a Assembleia da República discuta a realização de um referendo de iniciativa popular são necessárias 75 mil assinaturas. «De facto, entendo que esta será a única hipótese de levar a que possa ser reequacionada a manutenção do aeroporto na Portela», defende Monteiro. O líder da Nova Democracia lembrou que a 21 de Março escreveu ao líder do PSD, Marques Mendes, propondo-lhe uma acção conjunta na recolha de assinaturas para um referendo sobre o tema. «Infelizmente, até hoje, não obtive qualquer resposta do líder do seu partido», lamenta Manuel Monteiro.

3 comentários:

CA disse...

Acho o referendo uma má ideia. A legitiidade é sempre discutível e a tandência será para discutir o assunto como uma questão clubística. Além do mais um referendo não permite seleccionar uma melhor opção entre várias.

disse...

Parabéns pelo blog!!
Continua com o bom trabalho!

Visita também:

http://aguia-de-ouro.blogspot.com/

Futebol e política num só!
Obrigado!

Direct Current disse...

Sou a favor de referendos como um instrumento de democracia directa à disposição do povo. Contudo, há certas coisas que não acho que devam ser referendadas - projectos e obras públicas do governo por exemplo. Para isso prefiro as eleições legislativas de 4 em 4 anos e não referendos de 8 em 8 anos sobre a mesma matéria.

Já agora, há alguma razão por ter a moderação dos comentários activa ou é característica de blogs do PND?